Amores gris

Texto:  Solange Maia

 

Queria um amor assim,

desses que ficam grisalhos,

de histórias divididas e afetos desmedidos.

 
Queria o gosto da constância,

um pouco de rotina e o charme do tempo.

 

Gosto das marcas, dos vincos e da pele,

que mesmo sem o viço de ontem

é tão mais habitada, tão mais real.

Porque amor se aprende com o tempo,

no limite das renúncias,

no abandono das horas…

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: